Aniquilar sabotadores, por Rita Menezes

post 2

Ser freelancer é, muitas vezes, uma opção de vida; mas esta é uma opção que tem tanto de gratificante como de exigente. Não basta ser exímio na gestão de fluxos de trabalho – efeito “empty inbox” vs. efeito “full inbox”; o freelancer, não raras vezes, vive momentos em que coloca tudo em causa – principalmente ele próprio. Lidar com estas situações implica aprender a tirar partido das contrariedades para saborear os momentos brilhantes.

Indecisões. Haverá algum freelancer que não as tem/teve? Representam evolução, quando delas partem decisões construtivas para o percurso profissional. Dúvidas. Das suas competências, das suas escolhas? Qualquer empreendedor as sente. Perceções. A imagem transmitida é a mais correta, é a que fará conquistar a confiança de alguém?

Fórmulas mágicas não exigem. As respostas adequam-se e as soluções encontram-se. Depois de se identificar os momentos de sabotagem (ou seja, o freelancer a sabotar-se a si próprio) e de gerir o stress causado por esses momentos, é necessária a tranquilidade para progredir e evoluir, com sete princípios orientadores:

Estabelecer objetivos
Sejam a curto prazo (concretizáveis num futuro próximo, definindo um de cada vez, para que o foco nesse objectivo seja maior), a médio prazo (ainda que a sua definição dentro de um determinado limite temporal seja mais ambígua, são considerados as pedras basilares dos objetivos a longo prazo) ou a longo prazo (a visão da carreira, que poderá ou não ser variável ao longo do tempo, mas que deverá definir o que é mais adequado num determinado momento).

Manter uma atitude positiva
É possível mudar de cenário (visto que uma perspectiva diferente pode permitir encarar e interpretar algo de outra forma), recordar a razão pela qual se escolheu ser freelancer (uma excelente forma de manter a motivação e a felicidade), visualizar objetivos (e encarar determinada tarefa como um meio para atingir um fim) ou procurar focar-se naquilo que é mais agradável (com equilíbrio e variedade).

Desenvolver competências
Construir permanentemente o currículo; frequentar formação/workshops não só acrescenta valor, mas também melhora a qualidade do trabalho. A confiança nas competências permite ganhar ou aumentar a confiança para obter e apresentar melhores resultados.

Não fazer comparações com os outros
Não confundir com benchmarking (um processo de pesquisa das melhores práticas). As comparações poderão ser pouco realistas ou injustas. Reconhecer e identificar o trabalho da concorrência é algo proveitoso; a preocupação com aquilo que a concorrência faz será uma perda de tempo e um foco de ansiedade.

Reconhecer o seu percurso individual
Há dias bons e há dias menos bons; é impossível agradar a todos; e raramente se consegue atingir a perfeição. Mas mostrar gratidão por todas as vitórias pessoais, pelas experiências positivas e pelas oportunidades aproveitadas é fundamental.

Tomar decisões de forma atempada
Dezenas de decisões são tomadas diariamente, todas com consequências. Mas a tomada de decisões é, algumas vezes, protelada porque se ouvem demasiadas opiniões ou porque falta coragem para as tomar. Decidir permite seguir em frente.

Aceitar que se erra
Por muito talento que se tenha, muitas vezes cometem-se erros; alguns são fáceis de corrigir, outros nem por isso. O erro faz parte do percurso do empreendedor e um dos segredos do sucesso é assumir a sua responsabilidade e aprender com esse erro.

Interiorizar estas noções leva o seu tempo e poderá ser importante a partilha de ideias e soluções para encontrar respostas fora da esfera individual. Mas o caminho a percorrer implica também melhorar a eficácia e a produtividade, aprender a superar desafios e encontrar o equilíbrio vida pessoal-vida profissional.

Se a atitude positiva relativamente à vida e à profissão pode ser claramente benéfica para o freelancer, conhecer os seus limites e estar disposto a quebrar as suas próprias barreiras são igualmente passos rumo à excelência. Com confiança.

A Rita Menezes é tradutora e revisora desde 2002, com licenciatura e pós-graduação em Tradução e mestranda em Marketing Relacional. É membro do grupo de investigação TransMedia Portugal e docente e formadora.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s