SWOT e a estratégia do freelancer, por Rita Menezes

10934730_10202183020936141_103222208_nSer freelancer é mais do que desempenhar uma atividade profissional para a qual se estudou, para a qual se tem vocação. Parte do trabalho do freelancer envolve gestão empresarial e financeira, marketing e relações públicas. O profissional que planeia para conseguir estabelecer e afirmar a sua posição no mercado, que percebe quais os fatores que influenciam o seu negócio e que consegue definir a sua estratégia de marketing está na rota do sucesso.

Estratégia? Existe uma ferramenta simples que a torna possível: a SWOT. Esta é utilizada para fazer análise de cenário (ou análise de ambiente) e serve como base para a estratégia de uma empresa — ou de um freelancer! Devido à sua simplicidade, presta-se a qualquer tipo de análise de cenário, seja ela pessoal ou profissional.

Graficamente, a SWOT é apresentada com quatro quadrantes: forças (strengths), fraquezas (weaknesses), oportunidades (opportunities) e ameaças (threats).

Como se faz a SWOT? Encontrando respostas para questões pertinentes, incisivas.

Nas Forças procura-se responder a questões como “O que é que faço bem?” ou “Quais são os meus recursos únicos?”; pensa-se como as forças poderão promover ou desenvolver a oferta de serviços. No quadrante das Fraquezas, é preciso saber “O que posso melhorar?” ou “Onde tenho escassez de recursos?”; este processo vai conduzir a estratégias que eliminem estes prontos fracos.

Estes dois quadrantes, Forças e Fraquezas, são basilares e dizem respeito ao ambiente interno. A análise do ambiente externo, através das Oportunidades e das Ameaças, é também essencial para compreender o mercado onde se atua.

Quando se pensa em Oportunidades, responde-se a “De que posso eu tirar partido?” ou “Como transformo as minhas forças em oportunidades?”; a partir daqui delineiam-se estratégias que tiram partido destas oportunidades. Por fim, no último quadrante, lida-se com as Ameaças, “Que tendências podem ser prejudiciais para mim?” ou “A que ameaças me expõem as minhas Fraquezas?”; perante isto, procuram-se as estratégias que poderão eliminar estas dificuldades.

A análise SWOT permite, então, identificar os objetivos e delinear a estratégia. Os objetivos envolvem tanto os quantitativos (por ex.: aumento da rentabilidade; crescimento do volume de prestação de serviços) como os qualitativos (por ex., notoriedade; visibilidade; satisfação de clientes; fidelização de clientes).

Depois de fazer a sua análise SWOT, o freelancer define objetivos de melhoria relativamente aos aspetos que considerou prioritários e aos que têm um desempenho menos positivo; estabelece planos de ação para tirar o máximo partido das oportunidades; e determina o que será importante para colmatar os efeitos das potenciais ameaças. Tudo isto constituirá a base da sua estratégia.

A Rita Menezes é tradutora e revisora desde 2002, com licenciatura e pós-graduação em Tradução e mestranda em Marketing Relacional. É membro do grupo de investigação TransMedia Portugal e docente e formadora.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s