Wordfast – Memória de Tradução (TM)

Vivemos, cada vez mais, num mundo de extrema competitividade, onde os mais inovadores imperam.
Fui introduzida pela primeira vez às ferramentas TAC há cerca de quatro anos e desde logo fiquei adepta do Wordfast. Ainda que não tenha a popularidade atual do Trados, é sem dúvida uma boa aposta: cumpre os requisitos do que se espera de uma ferramenta de tradução e fá-lo de forma simples e apelativa.
Cabe-me a mim falar um pouco de memórias de tradução. A meu ver, são a principal funcionalidade destas ferramentas. O facto de nunca mais termos de re-traduzir o mesmo segmento duas vezes, torna o nosso trabalho muito mais rápido e rentável. Ao contrário da tradução automática, a qualidade da memória de tradução depende exclusivamente do tradutor. Podemos criar quantas memórias quisermos, sendo que o essencial é termos uma para cada par linguístico (EN>PT; ES>PT) e direção linguística (EN>PT; PT>EN). Quanto maior uma memória de tradução, maior a probabilidade de haver repetição de segmentos.

Se clicar no botão  deverá aparecer o seguinte:

Esta caixa permite-lhe selecionar uma memória de tradução já existente ou criar uma nova; definir os seus atributos, as suas regras, configurar uma memória de tradução de referência, configurar o motor de tradução automática (evitada pela maioria dos tradutores), etc.
Quando se cria uma memória de tradução, é necessário escolher um par de línguas (existe um código para cada língua). Cada um desses códigos consiste em 5 caracteres: 2 para a língua, 1 travessão e 2 para a variante local (caso não exista uma variante, colocar sempre “01”). Ex: PT-PT (Português, Portugal); EN-GB (Inglês, Reino Unido); JA-01 (Japonês)

O Wordfast tem um formato nativo (Unicode) para as memórias de tradução, no entanto, também é possível abrir e exportar memórias em formato TMX (formato padrão).

O botão Reorganize permite-lhe reorganizar e indexar a memória de tradução. Tenha em atenção que esta ação reduz o tamanho da memória ao apagar permanentemente as unidades de tradução que foram marcadas para eliminação, por isso o Wordfast aconselha-o a realizar a reorganização antes de arquivar ou partilhar a memória.

Nota: É possível iniciar uma sessão de tradução sem utilizar uma memória, contudo, estará a desperdiçar a principal vantagem desta ferramenta

Inês Brandling
 
Línguas: Inglês, Espanhol e Italiano
Licenciatura em Tradução (FCSH – UNL)
Frequência do Mestrado em Tradução (FCSH – UNL)
Contacto: ines.brandling@gmail.com
Anúncios

5 pensamentos sobre “Wordfast – Memória de Tradução (TM)

  1. A Inês Brandling aceitou o desafio e escreveu-nos sobre memórias de tradução e o Wordfast. Já tinham utilizado esta ferramenta? Concordam com a Inês ou têm uma opinião diferente?

  2. Sempre utilizei o Wordfast portanto não posso comparar com outras CAT Tools (vou testar em breve o Trados), mas este programa é de utilização simples (se bem que vale a pena investigar todas as potencialidades) e, especificamente sobre este tema, a possibilidade de utilizar memórias de referência é extremamente útil. Seria hoje um desaproveitamento de recursos não utilizar memórias de tradução, independentemente da ferramenta. Além da sugestão da Inês de utilizar uma para cada par linguístico, também as utilizo tematicamente (i.e., para cada tipo de tradução, Direito, Economia, etc.).
    E um artigo sobre glossários Susana? 🙂

    • Olá Nuno,

      obrigada pela partilha de informação. Eu também uso as memórias por par linguístico, tema e, por vezes, por cliente.

      Um artigo sobre glossários online/papel ou sobre ferramentas terminológicas?

  3. Olá Susana,

    Eu estava a referir-me às ferramentas terminológicas mas, nestes casos, “a mais nunca é demais”: não podemos ter um e depois o outro? 🙂 Obrigado pela iniciativa.

  4. Olá Nuno,

    Vou acrescentar à lista de artigos pendentes. Mas se calhar o mais rápido será lançar o desafio. Se alguém estiver interessado em escrever um artigo sobre estes ou outros assuntos, terei todo o gosto em publicar. Talvez um dos meus alunos esteja interessado depois da aula de ferramentas terminológicas.

    Um abraço

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s