ABL debate unificação ortográfica no encontro “Duas Línguas, Duas Culturas”

Nas comemorações da criação da Região Administrativa Especial de Macau – RAEM e do Instituto Internacional de Macau – IIM, ambos em seu 10º aniversário de fundação, a Academia Brasileira de Letras promoverá palestras na manhã do dia 22 de outubro, a partir das 10h30, no Teatro R. Magalhães Jr.

No encontro, o IIM doará à Biblioteca da ABL 60 publicações de escritores macaenses.

Dois aspectos serão objeto de especial atenção dos palestrantes: a unificação da língua portuguesa e o papel dos dois países emergentes, China e Brasil com Macau desempenhando importância estratégica para o relacionamento cultural e acadêmico sino-brasileiro em meio às transformações da cena internacional na primeira metade do século XXI. Macau foi uma região administrada por Portugal durante mais de 400 anos, e mantém, por isso, fortes relações com os países lusófonos situados na África e na América Latina.

O Seminário contará com a presença dos acadêmicos Cícero Sandroni (Presidente da ABL) e Evanildo Bechara; do Cônsul Geral da China no Rio de Janeiro; do Cônsul Geral de Portugal no Rio de Janeiro; do Embaixador Roberto Abdenur (Presidente do CEBRI);dos presidentes do IBECAP e do IIM; do jornalista Carlos Tavares de Oliveira (Assessor de comércio exterior da Confederação Nacional do Comércio – CNC); do Dr. Rudolfo Faustino (Coordenador do Centro de promoção e de informação do Turismo de Macau em Lisboa); e do Dr. Haroldo Lima (Diretor executivo da Agência Nacional de Petróleo.

O IIM e o Instituto Brasileiro de Estudos da China e Ásia-Pacífico – IBECAP vêm promovendo seminários subordinados ao tema “Macau nas relações Sino-Luso-Brasileiras”, nos quais têm sido debatidos os progressos alcançados nessas relações, realçando-se o papel de Macau como plataforma econômica e cultural neste contexto. Segundo o delegado em Macau da Câmara de Comércio Brasil-China, Porfírio Gomes, “Macau pode transformar-se em um centro de articulação de negócios, reforçando a sua plataforma entre a China e os países lusófonos.

Entre todos os Países de Língua Portuguesa (PLP), o Brasil ocupa, há mais de 10 anos, o primeiro lugar em importações de produtos chineses e exportações de commodities para a China. Em 2003, essa relação foi ainda mais intensificada com o estabelecimento do “Fórum para a Cooperação Econômica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa”, que tem em Macau uma base de apoio de contatos e promoção.

Saiba mais

Programação

A abertura da sessão será feita pelo Presidente da Academia Brasileira de Letras, o Acadêmico Cícero Sandroni .

Conferências:

“A unificação da língua portuguesa escrita” – Acadêmico Evanildo Cavalcante Bechara;

“Evocação de Agostinho da Silva” – Prof. Severino Cabral (Presidente do IBECAP);

– Apresentação da obra A trança feiticeira (Gryphus Edit.), do escritor macaense Henrique de Senna Fernandes, pela Sra. Gizela Zincone;

“Macau – a língua portuguesa: legado e futuro” – Dr. Jorge Rangel (Presidente do IIM).


http://www.academia.org.br/

Anúncios